29 dezembro 2012

Literatura VS Transito

Postado por Jaqueline Tavares às 07:58
Já imaginou você andando de carro pela ruas de New York e percebe que está dividendo a pista com com vários livros espalhado pelo chão? Pois sé isso aconteceu!

A regra era muito simples;entrar,abaixar-se,pegar e deliciar-se com uma envolvente historia no meio de uma avenida em pleno horário de pico!

A ideia foi de um grupo espanhol  chamado Luzinterruptos,que tinha feito essa "guerrinha" entre carros e livros em Nova York e foram convidados para repetir o feito em Melbourne na Austrália,10 mil livros iluminados  foram espalhados pela Federation Squade que foram doados pelo Exercito da Salvação que foram dispensados pelas bibliotecas publicas,no fim do lindo projeto os livros foram entregue a quem estivesse passando e parando para ver o que ocorria no local!




Legal né?Imagina se a moda pega e alguem inventa uma dessa aqui no Brasil!Bom eu ia AMAR

5 comentários:

Marly Magmac on 30 de dezembro de 2012 17:29 disse...

Que legal não sabia disso,boa ideia...
TOMARA*
Seguindo aqui,segue o meu?
http://garotadosquinze.blogspot.com.br/

Rosa Chiclets on 1 de janeiro de 2013 15:39 disse...

Nossa, que blog animado!!! Estou seguindo.. Bjs

Su - www.rosachiclets.com.br

Pamy Rodrigues on 1 de janeiro de 2013 16:26 disse...

Ahhhh que legal! Pena que essas coisas não acontecem no Brasil... E nem dava, porque tem pessoas tão ignorantes que são capaz de passar com os carros por cima dos livros. kkkkkkkk

mas pois é, muito legal msm.

bjs
http://cantinhodapamy.blogspot.com/

Rennata Marquetto on 2 de janeiro de 2013 05:35 disse...

AA QUE DIFERENTE E MUITO OUSADO NÉ GOSTEI DA IDEIA BEM LEGAL RRSR
E PAMY SE ISSO ACONTECE NO BRASIL COITADO DOS LIVROS TADINHOS RSRS
ADOREI O POST JAQUE *-*
http://rennatamarquetto.blogspot.com.br

Biia Rodrigues on 8 de janeiro de 2013 20:06 disse...

OMG! Que ideia diferente, fiquei encantada.

Beijos ;*
Pepper Lipstick

Postar um comentário

 

Paradoxos Compartilhados Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos